“Achados e Perdidos”

Estreia, nesse fim de semana, a obra cênica “Achados e Perdidos”, projeto multilinguagem do Coletivo Casulo

Quatro artistas se encontram para desnudarem-se em nome de uma obra cênica, instalações e atos performativos. Quem e o quê os construíram? O que os atordoa? Como a intimidade de cada um reverbera no outro? O Projeto Achados & Perdidos é baseado em fatos reais. Uma obra aberta emaranhada entre memórias que vão e vem. A ação foi contemplada no Edital das Artes 2011 da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor).

Há um ano, os atores Andrei Bessa, Danilo Castro, Edivaldo Batista e Keka Abrantes se reúnem para revirar seus baús de memórias e recontar suas lembranças, seja nos palcos ou em performances pelas ruas da cidade. A obra cênica resultante deste processo será, finalmente, apresentada nos sábados e domingos de junho, na sede do grupo Pavilhão da Magnólia, no Teatro Universitário.

Inovação
Em “Cenas Esquecidas”, apresentado no Teatro Antonieta Noronha na última quarta-feira, dia 5, o coletivo retorna a cenas retiradas da obra cênica “oficial” do projeto, que terá estreia neste sábado, dia 8 de junho.
Diante da pouca quantidade de ingressos (apenas 30), o coletivo optou por fazer reservas, através do e-mail contato@pavilhaodamagnolia.com.br. O interessado em assistir ao espetáculo deve enviar no corpo da mensagem seu nome completo e a data em que comparecerá.
“O ingresso, na verdade, é uma troca, não queremos essa relação de venda de produto e só. Assim, ao enviar o e-mail, pedimos que as pessoas levem algo no dia do espetáculo, uma surpresa, que não posso dizer”, diz Bessa, misterioso.
A obra cênica, portanto, já nasce nesse momento em que o espectador sai de casa. Como quando, antigamente, se marcava um encontro com um desconhecido, dizendo apenas a cor da roupa ou dando a referência de um objeto. O encontro, pois, acontecia na presença, mas iniciava já no ato de vestir-se.
“Nossa expectativa é de que, ao se debruçarem nas nossas memórias, o público possa resgatar a deles. O projeto trabalha muito com material sensível, então queríamos que as pessoas já saíssem de casa assim, à flor da pele, e que deixem o teatro mais humanas”, finaliza o ator.
 
Serviço:
“Achados e Perdidos”, do Coletivo Casulo.
Sábados e domingos de junho, a partir do dia 8, às 19h. No Teatro Universitário (Av. da Universidade, 2210).
Reserva de ingressos pelo e-mail: contato@pavilhaodamagnolia. com.br
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s